Design da Informação: Como é Lida Uma Página Web?

Melhor ter 100 visitantes que lêem do que 1000 que não lêem

O Design da Informação (Information Design) é responsável pela organização ideal das informações e do conteúdo no interno de uma página para torná-los simples e acessíveis.

Um recente artigo de Jacob Nielsen, o guru da Web Usability, focalizou sobre um aspecto muito interessante chegando a uma conclusão realmente interessante.

design-informacao.jpg

Photo Credit: Scyza

Como os olhos humanos lêem uma página web? Simples, não a lêem!

Então, segundo o bom Nielsen, antes mesmo de ler alguma coisa os olhos dos visitantes fazem um scan preliminar da página individualizando blocos de informações predominantes. Para cada bloco individualizam algumas chaves semânticas (ou seja, tentam entender o assunto), depois, se esse scan preliminar teve sucesso, partem para a leitura do que acharam interessante.

Quais são as partes mais importantes de uma página web?

Apesar desse primeiro contato cognitivo assemelhar-se muito àquele de uma máquina, máquinas não somos e para o nosso cérebro existem algumas áreas de uma página web que assumem mais importância que outras.

1. Os olhos começam a analisar primeiro a parte de cima à esquerda de uma página web
2. Sucessivamente passam para o segundo parágrafo dedicando a ele menos atenção
3. Pulam a parte central
4. … e procuram embaixo à esquerda links ou referências interessantes

Esse processo cognitivo pode ser representado por uma letra F, com o seu primeiro traço horizontal representando o primeiro scan no alto à esquerda, o segundo traço, menor, a análise do segundo parágrafo, e o traço vertical representando o salto da parte central à busca das informações embaixo à esquerda.

Analogias singulares com os motores de busca

Achei tudo isso curiosamente parecido com a dinâmica dos motores de busca, e do Google em particular, por causa da forma de se elencar os sites e dos mecanismos de relevância dos conteúdos. Os spiders, de fato, examinam a página toda dando a preponderância a duas ou três partes principais: o título, os primeiros 25% do texto e outros fatores. Desse bloco informativo são extraídas as chaves mais representativas do conteúdo (semânticas) que, depois, são usadas para restituir o site nas buscas.

Que a Mountain View se inspirou nisso para determinar os mecanismos semânticos do motor de busca? No fundo não seria uma novidade; no estudo dos materiais compósitos não se faz outro que tentar reconstruir tudo o que já existe na natureza, como a madeira ou as hastes das flores.

Esse é o motivo pelo qual no Ikaro os títulos nas páginas dos artigos e na home page são assim predominantes: porque quero que o leitor entenda do que estamos falando em menos de um segundo, e se você está lendo este artigo é porque evidentemente funciona.

Comments

comments