Substituir a Televisão de Casa Pela TV Via Internet: Um Teste Real

Resolvi verificar se é possível praticamente substituir a TV tradicional pelo streaming via internet sem dispor de meios muito evoluídos

A TV via internet é um assunto muito comentado e atual mas, é suficientemente confiável e simples a ponto de poder substituir a TV tradicional, a por satélite ou mesmo a digital terrestre? Ou constitui ainda um passatempo para geeks e fanáticos por novas tecnologias?

Para entender se o streaming via internet ou as web TVs podem desde já substituir a TV tradicional basta fazer uma coisa: testar.

E assim, com meios normais e ao alcance de todos, me organizei e verifiquei pessoalmente.

tvinternet.jpg

Quero deixar claro que não estou falando da TV via internet que vem sendo tão divulgada por vários provedores de internet. Por TV via internet quero dizer:

  • Poder dispor livremente da rede;
  • Liberdade de escolher o software que considero mais oportuno (o mediacenter do coolstreaming, ou mesmo PPLive, ou TVAnts e assim por diante) e não ser constrangido a utilizar a tecnologia que me é imposta;
  • Nenhuma assinatura em particular, a não ser a do acesso à internet que utilizo para me conectar ao streaming.

Existe somente uma solução que pode me garantir esse grau de liberdade: conectar meu próprio computador conectado à internet à TV de casa.

O que utilizei

  • Uma TV LCD de 32 polegadas com entrada VGA comprada para a ocasião
  • Um sistema de docking para conectar o meu notebook
  • Um notebook de nível médio
  • Teclado e mouse bluetooth (até 15 metros de alcance)
  • Acesso à internet vendido como 1280, mas que na realidade envia um fluxo de 670 Kbps bastante constante (fiz alguns testes para verificá-lo)Como pode-se ver nada de extremamente caro ou ultra tecnológico.

Criar o seu próprio sistema Home Internet TV self branded

A seguir as conexões que eu fiz:

  1. Primeiramente conectei meu notebook ao docking e instalei o driver apropriado. Para quem não sabe, um sistema de docking é um equipamento que permite que seu computador faça interface com periféricos externos como um segundo monitor, ou mesmo um TV, um teclado externo e assim por diante.
  2. Sucessivamente conectei a porta VGA do docking com a VGA da TV a cristal líquido para enviar o sinal de vídeo do portátil à TV de casa.
  3. Conectei o jack áudio em saída no docking (geralmente aquele do fone) na entrada de áudio da TV (pode-se utilizar, alternativamente, amplificadores para PC).
  4. Por último configurei no notebook o teclado bluetooth e o mouse para poder controlar tudo comodamente do sofá.

Nesse ponto encontrei o primeiro problema: visualizar a imagem do notebook na TV LCD. Tanto um quanto o outro, de fato, têm uma série de resoluções limitadas: é preciso achar uma igual e configurá-la tanto no notebook (que faz interface com o docking) quanto na TV com o objetivo de se ver a imagem e poder controlar o PC pela TV utilizando o teclado wireless.

Além do mais, é necessário que se preste atenção para que a modalidade vídeo do notebook esteja configurada como “clone” ou “mirror”, ou seja, que a imagem que é enviada à TV reflita tudo o que vemos na tela do PC.

Resolvido esse problema:

  1. Liguei o notebook e sintonizei a TV na porta de entrada da VGA.
  2. Sentei-me no sofá com o teclado e o mouse wireless.
  3. Liguei o mediaplayer do Coolstreaming para o teste (mas, pode-se utilizar qualquer outro programa para TV via internet).

A qualidade da TV internet. O teste mais importante

Aqui chegamos no “caroço” do problema: um usuário normal com uma banalíssima ADSL a 640 Kbps efetivos pode ver TV via internet de maneira digna, sem interrupções, com uma qualidade de imagem satisfatória e um áudio decente? Comecei a visualizar alguns streamings partindo de uma velocidade baixa, 150/200 Kbps, para depois subir gradualmente.

Descartando os vários streamings com problemas, descobri que posso visualizar com uma ótima qualidade TVs via internet que transmitem em streaming até a 800 Kpbs.

Em particular, fiquei surpreso com a qualidade do Desync que durante os meus testes estava transmitindo ótimos filmes. Se eu tivesse visitas em casa ninguém teria percebido que estavam assistindo uma web TV; realmente me surpreendeu. Mas, mais do que descrever o resultado com palavras, talvez seja melhor que você mesmo veja:

Isso é quanto consegui obter de uma conexão que não me garante mais que 700 Kpbs.

O que dizer… a TV via internet não só pode perfeitamente substituir a televisão tradicional como deve; eu já a substitui em casa!

Posso escolher entre milhares de canais online e posso decidir quais programas utilizar para visualizar as TVs em streaming; são muitas opções. Claro, muito depende da velocidade e da qualidade da sua conexão, mas até com uma linha razoável a TV internet pode substituir a de casa.

Eis uma pequena seleção de links úteis:

Software para TV peer-to-peer ou para web TV

Canais Brasileiros

Uma devida consideração

Quem pensa que eu fiz tudo isso para assistir aos jogos de graça (as partidas de futebol na Itália só passam em TV por assinatura – Sky; exceto a Copa do Mundo) se engana; sobre isso já fiz meu genial slogan que li numa faixa de um estádio: “Sky, non ti clono. E non mi abbono”, ou seja, “Sky, não te clono. E não te assino”.

Simplesmente quis dar minha contribuição para combater a propaganda posta em ação das grandes empresas que nos induzem a identificar o termo “TV via internet” com os seus produtos. TV via internet quer dizer:

  • ver aquilo que se quer
  • como se quer
  • quando se quer
  • sem contratos
  • sem assinaturas (sem contar a conexão à internet)
  • sem ser ligado a uma tecnologia particular

Tudo o resto não é TV via internet: são serviços privados colocados à venda. A TV via internet não está à venda: ela já é sua.