Blog: 5 Erros a Evitar Absolutamente

Os bloggers são criaturas sujeitas a perigosas parábolas psicológicas, vamos ajudá-los

A blogosfera agora está no imaginário coletivo, mesmo de quem não usa a internet habitualmente. Os blogs adquirem sempre mais espaço também nos jornais, rádio e TV, mas manter um blog coloca à risco, às vezes, a integridade psicofísica dos respectivos autores. Vamos ajudá-los, ajudem-nos!

blogging-erros.jpg

Photo Credit: Bob Smith

Eis uma lista de erros que um blogger deve absolutamente evitar para manter íntegra a sua saúde mental (sempre que possível).

A síndrome do Rex

Inscritos em mil social medias em todas as línguas e em centenas de feeds de notícias, “cheiram” continuamente o fluxo de informações para entender aquela notícia, aquele artigo que ainda ninguém divulgou no Brasil. Quando chega lá, o batimento cardíaco aumenta excessivamente e começa a contagem regressiva para a produção e publicação: máximo 10 segundos, há o risco que alguém seja mais rápido.

Vantagens: alguns prováveis picos de visitas
Perigos: início da decadência mental assegurado

Relação doentia-psicopata com o Google

Muito do sucesso dos blogs é devido aos motores, e ao Google em particular. Existem 3 categorias de bloggers: aqueles que adoram o Google por causa dos contatos que ele traz ao blog, outros que o odeiam porque não conseguem obter o mesmo resultado.

Depois, a terceira: são os bloggers cujos sites sobem e descem alternadamente nos resultados dos motores, e passam uma semana idolatrando o motor de busca e exaltando o seu papel fundamental na evolução humana do terceiro milênio, e a outra (quando o blog baixa) tentando convencer parentes e amigos que Larry Page é um assassino perigoso que cedo ou tarde o assassinará dormindo porque está perseguindo-o.

Vantagens: provavelmente nenhuma
Desvantagens: se não sai correndo aos reparos é arriscado que se comece a ouvir as vozes de Brin e Page que o insultam em português

Efeito Ping Pong

A última moda é rebater outro blogger postando no seu próprio blog. Obviamente este último, por sua vez, o rebaterá. Onde? No blog que contém o post a quem replicar? Obviamente, não! Em outro.

Resultado para os leitores: um grande torcicolo. Apelo: é possível usar os comentários também para se rebaterem?

Vantagens: efeito novela para os usuários fidelizados
Desvantagens: situação desagradável para os leitores ocasionais, que provavelmente se perguntarão porque os blogs estão tão em moda

Remix “eu também…”

Vamos lá, quando se encontra uma boa notícia, a produz e posta com amor, a vê publicada, a mima até cair casualmente em um blog que… a tinha publicado 5 dias antes!

Os efeitos são os mesmos:

  • 5 segundos em stand by fixando-se no monitor enquanto o cérebro tenta reorganizar as informações
  • 4 segundos tentando correr rapidamente o elenco das próprias fontes para avaliar se esqueceu alguma importante que foi utilizada pela concorrência
  • 3 segundos para retomar a respiração e clicar no ícone “comente” para escrever “eu também falei sobre isso…” e deixar o link

Vantagens: nenhuma
Desvantagens: dar a confirmação aos leitores de que é melhor ler o blog do concorrente ao invés do seu próprio

E agora o meu erro preferido

Transmutação mística e caminhar sobre a água

Este não é um erro para todos. É reservado aos gurus, aos top bloggers, aos líderes das new medias. Só eles podem, só a eles é consentido. Superada uma certa quantidade de tráfico e feedback, imprevistamente, adquirem autoconsciência da natureza semi-divina que têm.

Os posts começam a se tornar impessoais, começam a tratar de assuntos muito complexos, até chegarem ao ponto dos leitores se perguntarem: “mas, do que que ele tá falando?!”.

Não se pergunte, os bloggers nesta condição não escrevem mais posts para serem lidos, pensam simplesmentre em caracteres ASCII.

Vantagens: um pedaço de pão e um peixe bastam mesmo para um jantar para 30 pessoas. Afinal, eles podem se multiplicar.
Desvantagens: Tá brincando? Nenhuma, obviamente.

Comments

comments