SEO e Trust Rank: 5 Regras Para Otimizar a Indexação Nos Motores

O Trust Rank está radicalmente mudando as estratégias SEO dando mais valor ao comportamento dos usuários que aos números

Eis as técnicas SEO que coloco em prática constantemente para alcançar um bom nível de indexação nos motores de busca, especialmente no Google.

Não estão em ordem de importância porque as considero equivalente e complementares. Falo de esperteza, e não de truques, simplesmente porque são eficazes somente quando se cria um bom conteúdo, original, escrito de próprio punho de maneira simples e compreensível, e também quando se tem um layout otimizado para os motores de busca.

seo-trustrank2.jpg

1. Utilize sempre um título de página diferente contendo as chaves de busca relevantes para o conteúdo

Pode parecer uma banalidade, mas não é. Quando os usuários fazem as pesquisas eles têm a primeira impressão de que um resultado é relevante pelos títulos elencados na SERP. Aos usuários não interessa de quem é o site, interessa somente encontrar a informação que estão procurando e o título deve ser feito de tal modo que comunique com poucas palavras o conteúdo da página. Não incluir frases comuns como o nome do site ou outros slogans, a menos que seja uma estratégia sua bem precisa.

2. Faça coincidir o título principal do artigo com o da página HTML e inclua-o no tag H1

Reforça a confiabilidade do conteúdo, e o tag H1 passa a ser considerado pelos motores um abstract importante daquele conteúdo. As chaves taggeadas com H1 são mais levadas em consideração.

3. Personalize o nome do arquivo da página usando sinônimos ou chaves similares àquelas usadas no título da página e do conteúdo

A repetição excessiva das keys pode ser considerada stuffing (spam de keywords), enquanto que a utilização de sinônimos pode reforçar a confiabilidade do site e ser favorável ao ranking.

4. Agrupe o texto da página em parágrafos criando subtítulos com H2 ou fonte maior

Use o chunking, ou seja, quebre o texto em vários blocos dando subtítulos a eles com os Headers inferiores. Aqui também, use termos claros e relevantes sem exceder. Utilize sinônimos e termos complementares ao invés de repetir as chaves.

5. Linke sempre as palavras-chave mais importantes a conteúdos internos ou externos

Grande parte da confiabilidade de uma página é determinada com base na conexão que ela tem na rede com outros recursos. Se através dela um usuário pode aprofundar em determinados assuntos ela será levada mais em consideração pelos motores.

Qual é o objetivo dessas regras

Os bot do Google e dos outros motores evoluem de maneira incrivelmente rápida e agora alcaçaram um bom nível de elaboração semântica, isso quer dizer que valem sempre menos os números e sempre mais o comportamento dos usuários.

Essas dicas, portanto, não têm o objetivo de enganar o sistema, nem de aumentar o posicionamento com truques diversos. Pelo contrário, elas tendem a criar uma página que atraia o usuário até mesmo desde a primeira busca, que seja útil como aprofundamento ao assunto objeto da pesquisa.

Portanto, segue o objetivo das 5 regras acima elencadas
que sigo constantemente há muito tempo:

1. Título diferente com termos relevantes para a pesquisa

  • Faz com que o usuário clique naquela página quando aparece em uma SERP

2. Fazer coincidir o título da página com o título do artigo

  • Serve para que o usuário não vá embora. Em poucas palavras, uma vez dentro digamos a ele: “Ei, você não errou, estou falando disso mesmo”. Parece banal mas, as entradas e saídas rápidas de uma página são consideradas um ponto negativo pelos motores e são penalizantes.

3. Usar sinônimos no filename

  • Tudo interessante mas, se estamos na 200ª página do Google quem vai entrar? Vamos tentar subir mais…

4. Texto organizado com subtítulos e parágrafos

  • Ler deve ser um prazer, não um trabalho. Senão corremos o risco de fazer com que os visitantes escapem, e é melhor evitar as entradas e saídas rápidas (ponto 2).

5. Links e conteúdos relevantes

  • Se o usuário se aprofunda em um assunto relevante pela chave de busca usada, seja conectando-se a recursos externos ao seu site, seja em recursos internos, o Google considerará aquela página uma fonte válida e a premiará.

Uma vez que os motores aprendem a conhecer o nosso site, ou melhor, quando aprendemos a nos apresentar ao Google de uma certa maneira, as regras valerão sempre menos já que entrará no jogo o Trust Rank, ou seja, o nível de confiança que o Google tem em um site e que está substituindo o Page Rank.

Assim que algumas vezes deveremos nos perguntar por qual motivo algumas de nossas páginas se encontram no alto embora não estejam assim tão bem otimizadas. Simples, porque o Google confia nelas.

Comments

comments