Desenvolvimento Web: 10 Motivos Para Dizer NÃO! Aos Seus Clientes

Clientes não são todos iguais: é melhor concentrar seus esforços nos certos

Quando encontrei esse artigo entitulado 10 Absolute “Nos!” for Freelancers publicado no wakeuplater.com pensei que tivesse sido escrito por um eu proveniente de um ramo diferente do multiverso.

Ele elenca as 10 perguntas típicas que os clientes costumam fazer a web designers e desenvolvedores que merecem a mesma resposta: Não!

confronto.jpg
Photo Credit: baby1

Com certeza, quem trabalha faz tempo com IT como freelancer concorda, enquanto que para quem está entrando nesse terrível ramo profissional ultracompetitivo e inflacionado este elenco deveria representar um testamento a ser impresso em formato gigante, pendurado de frente à mesa e seguido escrupulosamente ao pé da letra.

Eis as 10 perguntas às quais você deve responder sem hesitar com um seguro NÃO!

1. “Deixe-nos ver algum protótipo para nos ajudar a escolher um design/programador?” NÃO!

  • Na melhor das hipóteses você dará a eles a confirmação de poderem contar com alguém que trabalha de graça, na pior delas eles utilizarão o seu protótipo para ser desenvolvido por outros. Aconteceu comigo 2 vezes: encontrei sites de potenciais clientes (que tinham rejeitado a minha proposta) desenvolvidos por outros com o meu projeto gráfico e funcional.

2. “Você vai dar um desconto nesse orçamento, não vai?” NÃO!

  • Muitas empresas e clientes espertinhos sabem bem como tirar vantagem de jovens profissionais: mantenha distância deles. Dar-lhes um desconto por uma única vez significa dizer “sou muitíssimo grato por terem aceitado que eu preste serviço a vocês”, e no futuro o seu poder contratual valerá menos de zero. Ou aceitam o orçamento ou fora.

3. “Você cuida do registro do nosso domínio e da hospedagem do site?” NÃO!

  • Você acredita se eu lhe disser que depois de 6 anos que deixei o mercado ainda tenho que gerir renovação de domínios e hosting de clientes que não se responsabilizam em fazer o transferimento dos serviços deles mesmos? Uma vez, inclusive, recebi um telefonema ameaçador de um cliente porque, segundo ele, eu tinha cacelado o seu site. Quando perguntei se ele tinha renovado o domínio depois de ter recebido os 3 avisos da Network Solution por email ele respondeu: “Por que, tinha que renovar?”.

4. “Gostamos muito desse site: pode fazer um igual?” NÃO!

  • Não é um discurso moral ou, pelo menos, não só. Um cliente desse tipo lhe reduz ao nível de um macaco, pense você o que é melhor fazer.

5. “Podemos gerir o pagamento do projeto com as entradas que serão geradas?” NÃO!

  • Um cliente que ousa somente propor algo do gênero é um cliente que está de sacanagem: ele já sabe que não lhe pagará.

6. “Tenho uma grande idéia: por que não vamos um pouco além do usual relacionamento cliente/fornecedor e…” NÃO!

  • Com isso também tenho uma certa experiência: quando você tem a estranha sensação de que um cliente seu lhe definiu como o “eleito” para um projeto de sucesso garantido fuja! Se existisse realmente um projeto de sucesso garantido ele não lhe envolveria como parceiro e pagaria mesmo assim para você desenvolvê-lo.

7. “Você me passa seu Skype?” NÃO!

  • Muitos clientes pensam que o que pagam para ter um trabalho desenvolvido por você corresponda à quota desenbolsada para comprar-lhe como pessoa e ter a sua disponibilidade 24x24x365. Caso contrário, não lhe pediria contatos privados.

8. “Vai, vamos fazer sem entrada: pagamos tudo quando o trabalho estiver pronto.” NÃO!

  • Se você não conhece o cliente peça, pelo menos, 50% na assinatura do contrato. Se o conhece basta 30%. Ser pago ao término do trabalho significa não pegar um real ou ver-se abanando a fatura enquanto lhe apresentam o 500ª pedido fora do acordo.

9. “Você não pode usar esse fim de semana excepcionalmente para terminar essa parte?” NÃO!

  • Se você fizer isso uma vez terá que fazer para sempre, pois acharão que é normal e pedirão que abra uma exceção sempre. E quando não o fizer você terá que se justificar.

10. “Obviamente a fonte será de nossa propriedade e não poderá ser reutilizada, não é?” NÃO!

  • Atenção, parece uma pergunta lícita mas, não é: se o cliente pretende que o código não possa ser reutilizado, então deverá pagar também as partes do código já desenvolvidas anteriormente que você reutilizará para o projeto dele.

Eu sei que parece uma visão pessimista e drástica, mas não é. Talvez, para aqueles que entram no mercado dispondo de trabalhos garantidos ou referências para que serviços lhes sejam encaminhados, não seja bem assim, mas, para quem mete a cara armado somente de entusiasmo e competência esse é o quadro geral de tudo o que se deverá esperar.

Se você é um deles, não duvide e a cada uma dessas perguntas dispare um belo NÃO! E lembre-se que no mercado de web development o sucesso não é determinado por trabalhos que se pega, mas por aqueles que se deixa.

Considere esses “nãos” como balas a disparar com precisão contra paquidermes que se colocam entre você e o seu crescimento profissional.

Comments

comments