Empréstimos Online: Tudo o Que Você Deve Saber Sobre Social Lending

Quando se fala de empréstimos online, geralmente, se pensa no pedido de empréstimo feito através de um módulo online.

Na realidade, assim como a Rede e as redes sociais influenciaram as mídias e o marketing com as dinâmicas virais, elas também estão influenciando fortemente os produtos financeiros como os empréstimos.

Um sistema de empréstimo, ou melhor, de micro-crédito gerido com dinâmicas sociais é chamado de Social Lending.

dinheiro-online

Photo credit: mitarart

Se você ainda não conhece os empréstimos sociais, eis o que deve saber:

Qual é a diferença entre o Social Lending e os empréstimos tradicionais?

Nos empréstimos normais é o banco que lhe empresta o dinheiro, no Social Lending são pessoas físicas como você que lhe emprestam.

Se não me concedem um empréstimo em um banco posso obtê-lo em um desses sites?

Dificilmente. Mesmo nos empréstimos sociais online o rating do requisitante é calculado (o risco para os investidores que lhe emprestam o dinheiro). Se você é considerado de alto risco para um banco, provavelmente o será também online.

Tenho que dar garantias para pedir um empréstimo?

Não, ou pelo menos, não da forma exigida pelos bancos.

Então, posso não restituir o meu débito? Não dei nenhuma garantia mesmo…

Em teoria, sim, mas considere que não se obtém altas quantias de dinheiro com o Social Lending. E não saldar uma pequena soma de dinheiro comporta a impossibilidade de utilizar de novo esta oportunidade no futuro, e para sempre. Convém?

Se são pessoas físicas como eu que emprestam dinheiro, então, eu também posso emprestar.

Exato. Em uma plataforma de Social Lending você pode se inscrever tanto para pedir empréstimos quanto para investir dinheiro emprestando a quem pede.

Se eu quero emprestar dinheiro e o requerente não tem que dar garantias, que garantias eu tenho?

Existe um limite máximo de dinheiro que você pode investir, que é subdividido em partes. Você não pode emprestar a uma única pessoa mais de um parte.

Para dar um exemplo prático: se você investe 10.000 euros no total, não pode dar a uma única pessoa mais de 10% deste valor. Portanto, você é obrigado a emprestar 1.000 euros a 10 pessoas diferentes. Isso limita o seu risco e evita especulações.

Consequentemente, a pessoa que pede o empréstimo também receberá o dinheiro de um vários investidores, não só de um.

Mas, qual é a taxa de juros?

Este ponto é, talvez, o aspecto mais interessante dos empréstimos sociais: a taxa de juros é estabelecida por quem pede o empréstimo. O requerente apresenta o pedido especificando a soma, as motivações do pedido e a taxa que está disposto a pagar.

Mas, então posso pedir um empréstimo com uma taxa baixíssima!

E quem vai querer lhe emprestar? São as leis da oferta e da procura. Se a taxa for muito baixa ninguém lhe oferecerá dinheiro, e você será obrigado a reapresentar o pedido aumentando a taxa. Portanto, como você pode ver, não é nada mais, nada menos que as leis de mercado, com a diferença que os bancos estão fora do jogo.

Concluindo

Espero ter conseguido explicar o conceito de empréstimo social. E esteja atento ao fato de que cada plataforma de Social Lending tem as suas próprias regras, por isso considere as informações deste post como uma orientação genérica.

Eis algumas plataformas de empréstimos peer-to-peer:

  • Zopa
    O precursor, o primeiro site de empréstimo social do mundo, sediado no Reino Unido.
  • Prosper
    Líder do setor nos Estados Unidos.
  • Kiva
    Orientado a microcrédito a favor de países pobres, sediado nos EUA.

Infelizmente, ainda não existe nenhum Social Lending que atue no Brasil.

Comments

comments