Como as Mídias Sociais Influem no Relacionamento Entre Empresas e Usuários: O Caso Conduit

Algum tempo atrás eu mandei um twit no qual afirmava que na minha humilde opinião o revenue sharing (divisão de lucros) do programa de afiliação do Conduit não era transparente.

Conduit é uma empresa francesa que oferece aos bloggers a possibilidade de monetizar o tráfego fazendo que os seus leitores instalem uma barra de ferramentas para o browser na qual podem inserir notícias, feeds e outros gadgets mais ou menos úteis.

conduit

Uma barra de ferramentas, no entanto, permite potencialmente que quem a administra (Conduit, no nosso caso) monitore o tráfego dos usuários que a têm instalada e, consequentemente, que crie um arquivo de dados monetizável graças à operações de profiling e análises de tráfego. É por isso que penso que o Conduit decididamente ofereça pouco aos bloggers (alguns centavos por instalação).

Uns dias depois, para minha surpresa, recebi um e-mail da Social Media Marketing Manager do Conduit, Shiri Gamonie. Shiri me disse que leu o twit e que achou o meu e-mail através do site que se encontra no meu perfil do Twitter.

Esta é a essência do e-mail que ela me mandou (tradução livre):

___________________________________________________________

Olá, li o twit que você escreveu algumas semanas atrás onde afirmava que o Conduit não tem um mecanismo de divisão equitativa dos lucros e eu gostaria de aprofundar no assunto. Antes de tudo parabéns pelo… (etc, etc.)

Voltando ao seu twit, gostaria de saber o que não lhe agrada, já que:

  • Oferecemos gratuitamente um serviço que normalmente é pago
  • Garantimos a infra-estrutura técnica e suporte tanto para o Firefox quanto para o IE
  • Permitimos que se tenha uma renda mantendo o controle total sobre os conteúdos da barra de ferramentas, que não tem anúncios, spyware, adware. E não vendemos os dados dos usuários.

Estou à sua disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais, etc, etc.

___________________________________________________________

Fantástico! Reclamo de alguma coisa e a empresa em questão se dá ao trabalho de contatar-me para oferecer suporte em relação ao objeto da reclamação! Maravilhas das Mídias Sociais.

Fiquei muito satisfeito com a abertura deles e adicionei o contato de Shiri no Skype, depois de respondê-la por e-mail, o qual lhe resumo:

___________________________________________________________

Olá Shiri,

Aprecio muito a maneira como você entrou em contato comigo, etc, etc.

Gostaria de fazer-lhes algumas perguntas para publicar um post sobre o assunto.

Quanto às minhas dúvidas, levando em consideração que o mecanismo de revenue sharing de vocês prevê a remuneração de alguns centavos a cada nova instalação da barra de ferramentas, pergunto:

  • Na barra de ferramentas há uma caixa de pesquisa do Google. O Conduit de algum modo ganha pelas pesquisas feitas pelos usuários através daquela searchbox?
  • O Conduit arquiva os dados de navegação dos usuários que instalam a barra de ferramentas para realizar operações de análises de tráfego ou profiling?

Resumindo, o Conduit obtém benefícios econômicos a partir do conhecimento dos dados de navegação dos usuários, que não estejam necessariamente limitados à “venda de dados dos  usuários” claramente negada por vocês nos Termos de Serviço?

É por isso que acredito que o mecanismo de partilha dos lucros não seja muito equitativo…

___________________________________________________________

Deixe-me ser claro: as barras de ferramentas do Conduit são seguras e garantem a privacidade dos usuários, como se pode verificar na Policy deles. A única coisa é que vejo o potencial de monetização decorrente do conhecimento dos logs de navegação que vai além da simples venda de tais dados.

A Shiri encaminhou o meu e-mail para alguém do Conduit (provavelmente alguém responsável pelas relações exteriores) e me disse: até hoje à noite você terá uma resposta para o seu post.

Já se passou uma semana e ainda não recebi nada, e Shiri não apareceu mais online no Skype.

Mas, aguardo esperançoso por mais um tempo (acabei de enviar-lhe um lembrete por e-mail).

Este episódio demonstra que:

  • as empresas (pelo menos no exterior) prestam atenção às mídias sociais, e utilizam ferramentas de filtragem automática para interceptar as conversas que interessam a elas
  • começam a inverter o fluxo de informações: não são mais só os usuários que procuram alguém com quem falar, mas o contrário
  • ainda subestimam em parte os usuários. Pelo menos foi o que me pareceu desde primeiro e-mail que recebi, embora certamente Shiri tenha me demonstrado agir em boa-fé

Em caso de novidades, atualizarei o post.

Comments

comments